O Sol Excessivo e o sono





Calor excessivo e o sono

O Brasil e todo o Hemisfério sul do planeta está vivendo uma das maiores temperaturas dos últimos anos. Por isso, no Verão, é importante manter o equilíbrio térmico interno do corpo para evitar sérias conseqüências à saúde devido à exposição prolongada em ambientes fechado com calor excessivo.
É evidente que não estamos falando de tomar sol em ambientes abertos na rua e nas praias e piscinas. Além de provocar fadiga térmica, o ambiente quente pode ocasionar desde uma simples desidratação até uma grave insolação (mesmo sem tomar sol).Nesse período de maior calor, o corpo transpira mais para manter a temperatura interna estável e, como conseqüência, perde mais líquidos e fica mais suscetível à desidratação.
De acordo com especialistas, durante a transpiração, o indivíduo perde, além de líquidos, minerais importantes para o organismo como potássio e sódio. A falta dessas substâncias dá sensação de moleza, cansaço e mal-estar. Os líquidos mais recomendados são sucos e água-de-coco, que ajudam a repor as perdas desses nutrientes. A água tem diversas funções importantes para o organismo. Além de hidratar, ela é responsável pelo transporte de nutrientes entre as células, melhora a circulação sangüínea de todos os órgãos, inclusive o cérebro.
Por essa razão a solonência, a preguiça, a fadiga influi sobre a qualidade do sono.

A desidratação pode também ocasionar desmaios, intoxicações, prisão de ventre e, nos casos mais graves, infecção urinária e cálculo renal por falta de água para produzir a urina.

Ao contrário do que muita gente acredita, bebida alcoólica não hidrata. A cerveja, por exemplo, aumenta a quantidade de urina e, quando ingerida em excesso, pode causar desidratação.Crianças pequenas e idosas são mais suscetíveis aos episódios de calor excessivo. Doenças crônicas e uso de medicamentos também deixam o indivíduo mais vulnerável a altas temperaturas. O uso de protetor solar é indispensável, não apenas para prevenir o câncer de pele, mas também para evitar insolações, queimaduras e manchas. A insolação é o dano mais sério do calor excessivo. Ela pode comprometer as funções dos órgãos vitais.

As vítimas podem ser facilmente identificadas pelos sintomas aparente da pele: seca, quente e avermelhada. Se não identificada de imediato, a insolação, associada à desidratação grave pode levar até a morte.
O sono da pessoa que está submetida a uma temperatura ambiente elevada no quarto de dormir parece com delírios e pesadelos além de falar muito à noite.

As pessoas de pele clara devem ter cuidado redobrado, pois elas nunca se bronzeiam, apenas queimam a pele ficando sujeitas às manchas. Essas manchas podem estar relacionadas à desidratação ou ainda pelo uso de medicamentos, perfumes, loção ou contato com frutas cítricas.

Nas épocas de elevada temperatura, aumenta o risco de contaminação por parasitas, fungos e larva migrans (adquiridas de fezes de animais na praia). Em épocas de calor excessivo, mantenha o corpo hidratado. Beba líquidos mesmo quando não estiver com sede e evite bebidas que contenham cafeína, álcool e muito açúcar que aumentam a desidratação. Use protetor solar, bonés e chapéus para minimizar os efeitos dos raios solares.

PROFESSOR DR. JOSÉ KNOPLICH
Reumatologista, Doutor em Saúde Pública
pela Universidade de São Paulo, autor de vários livros,
dentre os quais o "Viva Bem com a Coluna que Você Tem", na 31ª edição com 190 mil livros vendidos.

http://knoplich.sites.uol.com.br/


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é bem vindo !!!
Aguarde que estarei postando uma resposta, assim que possível.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...